.

.
.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Dep. Hildo Rocha formaliza representação contra governador Flávio Dino


O deputado Federal Hildo Rocha (PMDB) protocolou, na Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão, representação contra o governador Flávio Dino (PCdoB). A ação, segundo explicou o parlamentar, é pelo flagrante desrespeito ao que estabelece a Lei 11.738/2008, a Lei do Piso, que vincula o aumento à variação ocorrida no valor anual mínimo por aluno definido pelo FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Profissional da Educação). “O governador continua se recusando a conceder o reajuste salarial de 11,36% garantido por lei, aos educadores. Os nossos vizinhos cumprem a Lei do Piso Nacional do Magistério, como pode ser comprovado em publicação recente da CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação”, disse o deputado.

Rocha ressaltou que o Governo do Maranhão aumentou sua arrecadação em relação ao ano passado como pode ser constatado no próprio portal do Governo. Flavio Dino não atende a categoria porque prefere priorizar outros interesses como introduzir centenas de camaradas dentro da administração estadual.”, afirmou Rocha.

A favor da categoria – Em pronunciamento na tribuna da Câmara Federal, quinta-feira (04/02), reveja aqui https://youtu.be/27J0- CQw1BA, o deputado Hildo Rocha (PMDB/MA) fez a primeira intervenção a favor dos professores. Rocha enfatizou que o Artigo 50   da Lei 11.738 estabelece que os salários dos professores devem ser atualizados, anualmente, no mês de janeiro. Rocha lembrou que a Lei do Piso foi aprovada no período em que Dino exercia o mandato de deputado federal.

Representação no MP – No dia 26 de abril o parlamentar fez realizou nova ação em defesa dos professores. Rocha voltou a usar a tribuna da Câmara para cobrar do governador Flavio Dino o reajuste da categoria. Como o Governador permanece descumprindo a lei que ele próprio ajudou a aprovar o deputado Hildo Rocha decidiu entrar com a representação no órgão competente. “O Ministério Público instituição das mais respeitadas, guardiã das nossas leis, com certeza entrará com ação na justiça obrigando o governador a cumprir a Lei do Piso, já que ele não se sensibiliza com os apelos dos professores nem dos parlamentares”, declarou.


Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula


A 4ª Vara Criminal de São Paulo remeteu ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula e a denúncia contra o petista por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica no caso do tríplex de Guarujá (SP). Os autos foram enviados pela juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira na última quinta-feira, após ela negar recursos contra a decisão na qual declinou da competência para o juízo que centraliza a Operação Lava Jato, no Paraná, proferida há mais de um mês. A posse do tríplex reformado pela construtora OAS para Lula e a ex-primeira-dama Marisa Letícia era investigada pelo Ministério Público de São Paulo, em inquérito decorrente do caso Bancoop, e pelo Ministério Público Federal na Lava Jato. A juíza entendeu que os crimes são de âmbito federal e podem estar relacionados ao esquema de corrupção na Petrobras. Caberá a Moro agora decidir se aceita a competência e acata ou não o pedido de prisão e a acusação formal. O ex-presidente também é investigado em outras frentes da Lava Jato, a apuração ocorre sob o crivo do Supremo Tribunal Federal, por causa de citações a parlamentares e ministros com foro privilegiado. Como a nomeação de Lula foi suspensa pelo Supremo, ele permanece sem a prerrogativa. (Felipe Frazão, de Brasília)

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Suspensão do WhatsApp – Juiz decide punir os brasileiros sob o pretexto de punir empresa

Uma Justiça que pune 200 milhões de brasileiros com o intuito de fazer justiça então não é justa, mas bastarda. O WhatsApp está fora do ar por vontade do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto (SE), e vale por 72 horas. Os milhões de brasileiros, assim, são apresentados à comarca de Lagarto, ao juiz Montalvão e ficam sabendo que foram punidos. O aplicativo teria se negado a fornecer informações numa investigação sobre uma quadrilha de tráfico de drogas.

O juiz da comarca de Lagarto já foi notícia mundial uma vez. Vai ser de novo. Desse jeito, acaba um dos 100 homens mais influentes da lista da “Time”. É o mesmo que justificou, em março, a prisão de Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook, empresa dona do WhatsApp, para a América Latina.
Olhem aqui: o doutor acha que a empresa não está colaborando? Que recorra, por exemplo, à multa. 

Nesse caso, sim, ele pune, então, quem estaria se negando a colaborar. Que sentido faz punir os usuários? É como se o Metrô deixasse de cumprir uma determinação judicial, e um juiz determinasse a suspensão do serviço. É o fim da picada. O mundo está rindo da nossa cara, santo Deus!

A decisão do juiz foi tomada no dia 16. É claro que as operadoras de telefonia poderiam ter recorrido à Justiça. Seja porque cochilaram, seja porque travam um braço de ferro com WhatsApp por razões comerciais, nada fizeram. Não recorreram a tempo da decisão.

A decisão é vergonhosa e caracteriza uma óbvia agressão ao direito à informação e, se quiserem saber, à liberdade de expressão. Muita gente hoje usa esse aplicativo para trabalhar. Não se trata de mero divertimento.

Numa democracia, direitos não são suprimidos assim, do nada, por vontade de uma autoridade. Decisão da Justiça se cumpre, claro!, mas também se discute, ou, então, viveremos sob a tirania dos juízes. Imaginem se cada um resolver impor a sua leitura do mundo ao conjunto dos brasileiros.

Espero que associações de cidadãos entrem com mandado de segurança coletivo na Justiça de Sergipe; que o Ministério Público encaminhe uma petição à Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça; que partidos políticos entrem com um ADPF no Supremo (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) contra essa decisão esdrúxula.

O país não pode ser vítima desses surtos de mandonismo, sob o pretexto de se fazer justiça. Eu, você, nós todos, que seguimos a lei, que cumprimos as determinações judiciais, que pagamos os impostos, que nos comportamos segundo as regras da civilidade, por que havemos de ser os verdadeiros punidos?

Isso é um despropósito! Ao tomar uma decisão, uma das primeiras demandas na qual um juiz tem de pensar é a da razoabilidade. Então cabe a pergunta óbvia: é razoável punir milhões de cidadãos, que usam o WhatsApp hoje também para trabalhar, porque a empresa que responde pelo aplicativo deixou de cumprir uma determinação judicial?

A vida moderna tem suas injunções e vai gerando necessidades. Milhões de pais e mães usam o aplicativo para, por exemplo, falar com seus filhos, organizar a sua rotina doméstica, agendar suas tarefas.

É evidente que juiz Montalvão exorbitou de sua competência e de suas funções.
Uma Justiça que pune inocentes é injusta. Por definição. E tem de ser repudiada.

Por Reinaldo Azevedo


Bero-bero sofre tentativa de homicídio em Rosário!

A guarnição estava realizando ronda no início da noite de domingo(01), quando abordou um grupo de pessoas, durante a revista foi encontrado com José Gomes Pereira Oliveira uma faca que estava suja de sangue. 

O autor identificado pela policia militar, ao ser indagado pelos policiais, confessou que havia furado Maurício José Oliveira conhecido como "Bero Bero", na região central do tórax, este foi encaminhado em estado grave para o Hospital Socorrão II em São Luís.

O conduzido foi levado e apresentado na delegacia regional de policia civil em Rosário, para os procedimentos cabíveis.


"Bero Bero" foi apreendido no final do ano passado e confessou ter matado o jovem Jamilsom Martins (Chupa) na Rua da Balaiada, não ficou preso pois tinha 17 anos de idade.

domingo, 1 de maio de 2016

Dezenas de motos são apreendidas em operação da Pm em Rosário!

A Polícia Militar de Rosário divulgou nesta sábado (30) um balanço da “Operação Fecha Quartel”. As ações tiveram início nesta sexta-feira (29) com objetivo de apreender veículos em situação irregular na sede de Rosário e no povoado São Simão.

A PM também ressaltou que a operação visa apreender carros e motos que são os mais usados na prática de crimes como roubos e homicídios. As ações foram realizadas em vários pontos da cidade.

O objetivo também foi reeducar condutores de motocicleta quanto a importância de conduzir motocicletas com equipamentos de segurança, com os documentos de porte obrigatório, bem como com a CNH e outros. 

Na operação, 25 motocicletas foram notificadas, apreendidas e removidas para o pátio da 7ªCI de Rosário.

sábado, 30 de abril de 2016

Barreira em Estiva terá fiscalização 24 horas por dia!

Agora quem pensar em sair de São Luís com drogas, armas ou passar com carro roubo, terá que pensar dez vezes antes de se arriscar. A mesma medida vale para quem  chega à nossa capital pela única entrada de acesso.

Ontem, o secretário de  Segurança Pública, delegado Jefferson Portela, o comandante Geral da PM, coronel Pereira, e o comandante da CPAM/3, coronel Egídio, implantaram a barreira policial em estiva para funcionar 24 horas por dia. 

A medida visa intensificar as abordagens no principal local de acesso e estratégico da capital  onde circulam em média por hora 700 veículos e terá como foco o combate ao tráfico de drogas, apreensão de armas de fogo e o combate ao roubo de veículos e também um ponto de apoio para a sociedade que no local estará uma viatura com força de reação para qualquer eventualidade.

Para proporcionar aos policiais e abordados uma maior segurança no momento das abordagens foi instalado “cavalos de frisa” e “ouriços” de trilho de trem com o objetivo também de conter ações criminosas e em um caso grave de ocorrência poderemos fechar a principal via de acesso a capital.

A barreira conta com a parceria da AGED, da Receita Estadual e da Policia Rodoviária Federal. O telefone que irá ficar com o comandante da barreira é o 99187-7007, e ficará a disposição da comunidade para qualquer informação ou necessidade.



sexta-feira, 29 de abril de 2016

Rússia confirma existência de arma que transforma pessoas em zumbis


Você acredita em zumbis? Não? Então prepare-se para a notícia a seguir: de acordo com o jornal Herald Sun, a Rússia estaria testando uma arma psicotrônica capaz de controlar a mente das pessoas. A afirmação foi feita pelo próprio presidente do país, Vladimir Putin.

A arma futurista, que atinge o sistema nervoso central das vítimas, está sendo desenvolvida por cientistas e poderá ser usada contra nações inimigas e até mesmo dissidentes políticos que enfrentam o atual governo.

Putin descreveu a arma como um instrumento novo que pode servir para atingir objetivos políticos e estratégicos. Até mesmo alguns detalhes da "controladora de mente" foram divulgados. O que se sabe é que ela, por exemplo, dispara uma radiação eletromagnética de maneira semelhante aos fornos de micro-ondas, causando um grande desconforto em suas vítimas.

O ministro da defesa Anatoly Serdyukov disse que, em testes recentes, a arma foi usada para dispersar multidões. De acordo com relatos, a pessoa que recebeu a radiação da arma sentiu que a temperatura do corpo aumentou rapidamente. Apesar de alguns segredos de funcionamento não terem sido divulgados, o jornal alega saber do fato de que ondas de baixa frequência podem afetar células do cérebro, alterar o estado psicológico e até mesmo transmitir sugestões e comandos para o pensamento de alguém, como se fosse telepatia.


Talvez, a partir de agora, seja melhor você pensar muito bem na possibilidade de um apocalipse zumbi. Resta saber se eles serão os famosos comedores de cérebros, retratados constantemente nas telas do cinema.

fonte: Olhar Digital