terça-feira, 11 de junho de 2019

Governo do Má já torrou mais de 14 milhões em mídia nos primeiros meses de 2019

Na falta dinheiro, para saúde, educação, segurança e pagamentos de contratados, na contra-mão, o governo Dino não tem poupado ''investimentos'' para maquiar com publicidade e propaganda o caos que se encontra o Maranhão.
Governador Flávio Dino e o secretário
De comunicação Rodrigo Lago

Empresas do setor da comunicação não tem do que reclamar do Governo Dino, diante da crise que chega no Estado do Maranhão, o comunista segue investindo pesado na imagem do governo tanto a nível estadual, quanto a nível nacional.

De acordo com o Blog Atual 7, e com informações do Portal de Transparência, as agências de comunicação tem faturado alto para maquiar o caos do Maranhão. Agências Clara Comunicação, em mais de R$ 3,3 milhões; Informe Comunicação, em R$ 1,8 milhão; e Eurofort Comunicação, em R$ 925 mil.

A primeira e a última são responsáveis pelas peças publicitárias em blogs, jornais, rádios, TV e carros de som no estado. A segunda agência presta serviços de consultoria de imagem e assessoria de imprensa para a gestão de Dino em âmbito nacional.

Ainda, o blog revelou que o site de transparência  estava apresentando falhas impedindo que as movimentações sejam acompanhadas em tempo real.

Enquanto a gastança anda descontrolada, o Maranhão caminha no descaso

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Os monstros que mutilaram e assassinaram Rhuan e porque a grande mídia se calou



Conheça a história de Rhuan
Rhuan Maycon, de 9 anos, teria sido sequestrado no Acre há cerca de 5 anos pela mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, de 27 anos, após a mesma perder a guarda do filho para o pai. Desde então, mãe e filho teriam passado por diversas cidades em Sergipe, Tocantins, Goiás e no Distrito Federal na companhia da companheira de Rosana, Kacyla Pryscila Santiago, de 28 anos, e da filha de Kacyla, uma menina de 8 anos.

Segundo relatos, o casal aplicava golpes e cometia furtos por onde passava e contava com uma pensão depositada pelo pai da menina todos os meses. Acredita-se que as duas crianças não frequentavam a escola há pelo menos 2 anos.

Ainda não se sabe a real extensão dos danos causados durante todos esses anos às duas crianças, mas do que se tem conhecimento é assustador. Há cerca de um ano atrás, a mãe de Rhuan arrancou o pênis do próprio filho com a ajuda da companheira. O procedimento monstruoso seria uma tentativa caseira de mudança de sexo do menino. As mães teriam pesquisado na internet como realizar o procedimento e formas de evitar infecções. Após extirpar o órgão, as duas teriam costurado a região mutilada e improvisado uma “versão do órgão genital feminino, fazendo um corte na virilha”. A declaração é de Cláudia Regina Carvalho, a conselheira tutelar que agora faz o acompanhamento psicológico da filha de Kacyla, em entrevista ao UOL.

A conselheira afirmou que as mães teriam influenciado a menina, que desenvolveu uma aversão à figura masculina. “Ela (a filha de Kacyla) contou que não gostava do irmão de criação por ser homem”, afirmou Cláudia. A menina também recusou contato com o próprio pai, que foi até o Distrito Federal para buscar a filha.


A irmã de criação de Rhuan afirmou ainda à conselheira que as mães faziam alisamento todos os dias nos cabelos do menino, que era o único que tinha cabelos compridos na casa. Existem ainda suspeitas de que as crianças eram obrigadas a manter relações sexuais entre si. Vizinhos relataram que apenas viram os filhos quando os quatro se mudaram para a casa onde viviam no Distrito Federal e acreditavam se tratar de duas meninas. Os investigadores sustentam a teoria de que as crianças praticamente não saiam de casa pois as mulheres temiam que a mutilação do menino fosse descoberta.

Após anos de maus-tratos infligidos sobre Rhuan, seu calvário teve fim na noite do dia 31 de maio, quando a mãe do menino o apunhalou brutalmente no coração enquanto dormia com a ajuda da companheira. Após o assassinato por meio das facadas, Rosana e Kacyla novamente demonstraram requintes de frieza quando esquartejaram e queimaram Rhuan na churrasqueira da casa.

Ao perceberem que não conseguiriam eliminar todos os rastros do menino queimando seu corpo, as criminosas resolveram colocar seu corpo em uma mala e jogá-la em um bueiro, próximo a uma quadra de futebol em Samambaia, região administrativa que fica a 24 km do centro de Brasília.
As mulheres acabaram sendo flagradas por jovens que jogavam futebol e suspeitaram da atitude, abrindo as malas e encontrando parte do corpo do menino. Testemunhas então conduziram os policiais à casa das assassinas, onde encontraram os membros de Rhuan em mochilas.

Os investigadores acreditam que as duas também pretendiam assassinar a filha de Kacyla e fugir. Segundo depoimento de Rosana à polícia, Rhuan seria um empecilho no relacionamento das duas, pois era uma lembrança do vínculo com o pai da criança.
As criminosas Rosana e Kacyla, respectivamente.

Muito tem-se especulado na internet sobre as motivações das mulheres, e não cabe aqui criar mais uma teoria, mas sim levantar uma questão gritante neste caso tão horripilante: por que o assassinato brutal não teve a exposição na mídia proporcional aos demais casos de crimes chocantes que ocorreram no Brasil?

Seria o escândalo protagonizado pelo menino Ney mais relevante que a história de sofrimento do menino de 9 anos?

Infelizmente, até um cachorro que sofreu maus-tratos teve maior exposição midiática que o caso de Rhuan. Estaria a grande mídia tão absorta na cartilha progressista que prefere não enfatizar a monstruosidade protagonizada por Rosana e Kacyla simplesmente por se tratar de um casal homossexual?

Desde quando nosso país passou a conceder um pacto de silêncio implícito para crimes cometidos pelos que configuram nas bandeiras levantadas pela esquerda? Quantas hashtags de #RhuanVive nós teríamos visto nos trending topics se a assassina e a comparsa não fossem lésbicas?

E onde estão os defensores dos direitos humanos? Ou um menino de 9 anos torturado e assassinato não é digno de preocupação? Este é mais um exemplo da enfermidade que acomete parte dos brasileiros que se encontram no espectro esquerdista. Quantas crueldades esses “seres humanos” estão dispostos a ignorar em nome de uma ideologia?

Um exemplo claro do que eu estou falando: quantos tweets raivosos da Maria do Rosário você leu, denunciando o ocorrido a Rhuan? Por outro lado, tenho certeza de que não seria surpresa para ninguém se a deputada demonstrasse sua preocupação com a integridade física e emocional das criminosas.

É muito triste que a indignação seletiva esteja tão demarcada em pessoas que deveriam tanto informar quanto representar os interesses de toda a população. O silêncio demonstrado agora nada mais é do que o reflexo de um caráter podre e que não pode mais ser ignorado.




Enquanto preço da gasolina caiu em 22 Estados no Mranhão subiu!


Enquanto caiu em 22 Estados e no Distrito Federal na semana passada, o preço médio do litro de gasolina vendido nos postos do Maranhão subiu.
A informação é da Agência Estado, citando dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE-Taxas.
Além do Maranhão, houve alta apenas em Alagoas, no Amazonas e na Paraíba.
Uma das explicações pode ser o alto valor praticado pelo Governo do Maranhão como referência para a cobrança de ICMS.
Blog do Gilberto Léda revelou há pouco mais de uma semana que enquanto a Petrobrás anunciou duas quedas seguidas no preço da gasolina – reduções que passam dos 10% -, no Maranhão o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) desse combustível ficou quase 10 centavos maior na primeira quinzena de junho.
O PMPF é o valor usado como referência para o cálculo do ICMS.
Na segunda quinzena de maio, ele era de R$ 4,465. A partir do dia 1º deste mês, contudo, passou a ser de R$ 4,539.

Aumenta o movimento nos bastidores da política rosariense para a sucessão de Irlahi

A corrida para a sucessão da prefeita de Rosário Irlahi Moraes tem se intensificado a cada dia e segundo os termômetros das redes sociais alguns pré-candidatos vem se articulando e buscando se consolidar na disputa para as eleições de 2020.

Do lado da prefeita nota-se que a disputa está entre os secretários Valter Costa -que tem feito um trabalho de campo junto as comunidades da zona rural através do movimento "Diálogos por Rosário" e tem logrado exito com adesões de muitas lideranças, e o secretário de educação Joaquim Neto que tem buscado apoio junto a classe educacional de membros do atual governo, além do vice prefeito Douglas Sena que peno menos ainda não teria desistido oficialmente e tem aparecido em alguns eventos no município de Rosário. Segundo informações a prefeita Irlahi deverá anunciar no segundo semestre o nome que receberá o apoio de todo o grupo político.

Entre os vereadores do município a coisa é mais embolada, apesar de terem anunciado uma certa aliança (que tudo indica que não existe mais) após a desistência do presidente Kiko, pelo menos três nomes já se articulam, Jonas Magno considerado o mais cotado entre os vereadores, possui um grupo de pelo menos 4 vereadores e tem buscado apoio de várias lideranças locais. O vereador Carlos do Remédio também quer ser prefeito, mas ainda não decolou, e por ultimo apareceu o nome do vereador Jardson Rocha que segundo seria o pré-candidato do prefeito de Santa Rita Hilton Gonçalo que estaria disposto a "torrar dinheiro" na candidatura do parlamentar (pelo menos é o que diz uma áudio que circula nos grupos de whatsApp.)

Na oposição propriamente dita aparece Calvet Filho que usa as redes sociais como ferramenta para tentar emplacar seu nome, e o ex-vereador Willame Anceles que tenta formar um grupo para a disputa.

Outros nomes também surgem como o Saldanha e o Apostolo João Batista que é ex-vereador de Rosário.

O curioso é que não há nenhuma mulher na corrida!

Até o momento não há nenhuma pesquisa OFICIAL que possa mostrar como está a corrida para a próxima eleição, mas muita água ainda vai passar por baixo da ponte!


sábado, 8 de junho de 2019

Ex-aliado acusa Maduro de pagar por rituais de sacrifícios humanos em Cuba


Maduro está sendo acusado de pagar por sacrifícios humanos em Cuba.

Hugo Carvajal, ex chefe de inteligência e contra inteligência militar, relatou em uma carta aberta, que o presidente venezuelano é devoto de Santería, uma religião oriunda da África que pratica sacrifícios humanos objetivando agradar aos deuses.

Segundo ele, o objetivo principal da carta seria explicitar o alto nível de falsidade de maduro, bem como as barbáries praticadas por ele.

Sendo uma peça chave no regime venezuelano. Hugo relata na carta que a entrevista concedida pelo presidente (onde ele tenta camuflar a triste situação do país e afirma ser cristão) é completamente falsa.


“Você é um devoto de Santeria, seguidor de Saibaba”, afirmou Carvajal.

Segundo o que relata a denúncia feita, Maduro seria um fiel seguidor de um guru chamado SaiBaba , que seria a reencarnação de um ser divino em forma humana. O guru afirmava ser a encarnação de Shirdi Sai Baba. Um importante líder religioso do século XIX. Que é venerado por muçulmanos e hindus.em seus ensinamentos, ele afirmava que um dia viria a se tornar Prema Sai Baba, encarnação divina do líder. Que levaria a terra a alcançar a paz mundial.

Em sua carta de denúncia, Hugo diz que Maduro teria enviado à Havana, capital de Cuba uma mala com US$ 500 mil em dinheiro através de um avião da PDVSA (petroleira venezuelana) para que diversos rituais com sacrifícios humanos fossem feitos em seu favor.

Entretanto, em fevereiro deste ano, maduro afirmou ser cristão e orar todos os dias. O material da entrevista foi confiscado na época quando a gravava foi interrompida pelo ditador. Por isso, o material apenas veio ao conhecimento do público recentemente.

“Eu sou um homem apegado a valores espirituais, a valores legais. Um cristão profundo, praticante, diário, um homem de oração”, disse o ditador.

A entrevista foi concedida na época ao jornalista mexicano-americano Jorge Ramos. Que questionou duramente o modo de governar do presidente.
Fonte: Gospel Prime, O Antagonista

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Dino visita Lula no mesmo dia que a Justiça o tornou réu pela décima vez


A Justiça Federal de Brasília aceitou uma denúncia contra o ex-presidente sobre o recebimento de R$ 64 milhões em troca de benefícios para a Odebrecht



São Paulo — O juiz Vallisney de Oliveira da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, aceitou nesta quarta (05) uma denúncia por corrupção apresentada contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além do petista, o empresário Marcelo Odebrecht e os ex-ministros Antonio Palocci (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Planejamento) também se tornaram réus.

Lula e Palocci são acusados pelo Ministério Público Federal de terem acertado o recebimento de R$ 64 milhões em troca do aumento do limite da linha de crédito para exportação de bens e serviços entre Brasil e Angola, em benefício da Construtora Odebrecht em 2010. Segundo os autos, a autorização do governo brasileiro teria sido de US$ 1 bilhão.

A denúncia cita, ainda, que em 2014, R$ 5 milhões foram destinados para a campanha eleitoral de Gleisi Hoffman, à época senadora, que concorreu ao governo do Paraná. A atual presidente do PT, contudo, é deputada federal e ainda tem foro privilegiado. Seu envolvimento neste caso, portanto, está no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao aceitar a denúncia, Oliveira diz que há indícios suficientes para que a ação penal seja aberta e os acusados sejam julgados. Segundo o juiz, a acusação do MPF se sustenta “de documentação pertinente vídeos, mensagens de e-mails, planilhas, relatórios policiais e outros documentos”.


Portal Transparência mostra que gestão Bolsonaro tem o maior orçamento para educação da história



No último dia 30 de maio, foram organizadas manifestações com o intuito alegado de defender a educação e protestar contra o contingenciamento de R$ 5,8 bilhões anunciado pelo MEC. Trata-se da segunda mobilização nacional em menos de um mês realizada com a mesma finalidade. O referido contingenciamento tem sido tema onipresente em veículos de informação, editoriais jornalísticos e redes sociais, de onde se depreende que a comoção em torno do tema deve-se à suposta severidade (ou talvez descaso) com que o governo recém-eleito vem tratando esse importante setor.

Os fatos, contudo, não legitimam essa postura. Vamos, portanto, a eles.

Desde o início da crise econômica em 2014, o governo federal vem fazendo sucessivos cortes orçamentários na área da educação. Com base nos dados disponibilizados pelo Portal da Transparência, e compilados no gráfico abaixo, percebe-se que, mesmo que o contingenciamento recém anunciado de fato se transformasse integralmente em um corte efetivo, ele se revelaria o menor corte da série histórica, representando cerca de 1/3 do corte médio adotado pelas últimas gestões federais (5% ante uma média de 16,2% entre 2015 e 2018).

O maior corte em termos percentuais foi efetuado em 2015, durante a gestão petista, o qual atingiu 23,3% do orçamento.

Como se não bastasse, assumindo novamente que tal contingenciamento venha a se transformar em corte integral, os números demonstram que, mesmo assim, o investimento federal em educação realizado pela atual gestão terá sido o maior da história, atingindo um patamar de R$ 111,3 bilhões.

Logo, as recentes escolhas orçamentárias na área da educação não fornecem elementos que indiquem a alegada severidade ou descaso do atual governo para com esse setor. Os fatos, aliás, como visto, demonstram o contrário.





Fonte: Portal da Transparência – *Nota: Para o ano de 2019 considerou-se que o valor executado pelo governo seja dado pela diferença entre o orçamento e o valor contingenciado.

Se as evidências acima mencionadas não conferem elementos para se constatar que o atual governo afronta a educação em nosso país, uma explicação alternativa para a ampla manifestação em defesa desse setor poderia decorrer da possibilidade de que tal corte represente um “tiro de misericórdia” em uma área cujo investimento público vem minguando. Contudo, uma vez mais, os fatos contradizem também essa hipótese. Segundo dados compilados pelo Senado Federal, entre 2004 e 2014 o investimento público em educação proporcional ao PIB cresceu espantosos 130%, sendo que no ano de 2018 representou 6% da riqueza gerada no país, patamar acima da média da OCDE, e de países desenvolvidos como Alemanha, Holanda, Reino Unido e Suécia, por exemplo, conforme divulgado por essa organização. Aliás, segundo o último relatório dessa entidade, somente 6 países dos 43 pesquisados investem mais em educação do que o Brasil. Assim, a retórica de escasso investimento em educação sendo dilapidado pelo mais novo contingenciamento tampouco se sustenta.

A análise atenta dos dados compilados pela OCDE no âmbito educacional talvez nos dê uma pista do que poderia, enfim, legitimar as referidas manifestações. A despeito do massivo investimento educacional protagonizado pelo governo nos últimos 15 anos, o desempenho obtido por nossos alunos no PISA mostra-se estagnado ao longo das 6 edições do referido exame. Quando colocado em relação a outros países, o quadro piora sensivelmente, visto que nossa posição caiu de 36º para 65º entre a primeira e a última edição.

Ou seja, se formos fiéis ao axioma de que recursos destinados à educação “não é gasto, mas investimento”, o retorno que nossa sociedade está obtendo tem sido péssimo. Presumo que esse seja o motivo subjacente às manifestações de hoje, afinal, conforme demonstrado acima, o contingenciamento anunciado pelo atual governo é bastante aquém dos protagonizados pelos anteriores (sem que houvesse comoção comparável à atual), e nosso investimento em educação supera o realizado pela maioria das nações desenvolvidas. Dessa forma, recai no mau uso do recurso público em educação o real fundamento das manifestações protagonizadas por nossos estudantes nesta data.

É claro que uma explicação alternativa seria uma possível motivação política arquitetada por partidos de oposição que, de maneira oportunista, se utilizariam de tais estudantes como fantoches para promoverem suas pautas particulares. Ora, não podemos esquecer que a esmagadora maioria desses jovens possui bom discernimento dado que tiveram o privilégio de estudar filosofia e sociologia em suas escolas, as quais, por sinal são isentas de viés político. Acho, portanto, pouco verossímil essa última possibilidade…

Fontes:

https://www.gazetadopovo.com.br/educacao/peru-e-chile-gastam-menos-em-educacao-do-que-o-brasil-e-eles-alcancam-as-melhores-notas-5mo5nrw7yq9poa113h8ioj4r0/
https://data.oecd.org/eduresource/public-spending-on-education.htm
https://www.oecd.org/eco/surveys/Brazil-2018-OECD-economic-survey-overview-Portuguese.pdf
http://www.portaltransparencia.gov.br/funcoes/12-educacao?ano=2017
https://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/boletins-legislativos/bol26