segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Polêmica do "Lixão", tudo o que você, não sabia!


 
 
 
Para início de conversa quem começou o movimento contra “o Lixão” em Rosário foi eu. Quando em Outubro de 2010 recebi uma ligação do vereador Willame Anceles me pedindo para assistir a seção que iria tratar sobre o zoneamento da área onde a empresa já tinha adquirido o terreno para a construção da grande CTR (central de tratamentos de resíduos). Na época eu levei uma câmera escondida e na hora da aprovação do tal zoneamento me levantei com a filmadora para filmar, quem estaria aprovando tal projeto, que foi de origem do Prefeito Municipal Marconi Bimba. que enviou o projeto para ser aprovado a câmara. Onde a seção aconteceu na segunda feira após o festejo da padroeira da cidade (detalhe geralmente na segunda feira após as festejos não tem seção em Rosário, mais neste dia teve).
Após o vereador Willame denunciar que era contra o projeto e justificar seu voto, a câmara utilizou de uma manobra para tentar desviar a atenção da mídia (no caso Jerffeson de Jesus) . Pasmem minha gente, o projeto foi aprovado em menos de 24 horas, logo no outro dia já estava aprovado com a maioria esmagadora dos votos dos vereadores.
Logo após eu chamei o cidadão Valdivino e disse que teríamos que fazer alguma coisa e alertar a população, logo ligamos para Joaquim Neto, onde eu expliquei tudo o que estava acontecendo, e no mesmo instante ele aceitou a nossa ideia de fazermos um movimento contra tal projeto. Logo após falei com a Rosa do Sindicato que também vestiu a camisa, e chamamos os moradores de Buenos Ares (onde esta sendo construída a CTR) e explicamos como o projeto foi aprovado “na surdina”, o que causou uma revolta imediata nos moradores do lugar .
Enfim quando o Joaquim Neto conseguiu a cópia do projeto onde conseguimos provar aos vereadores e ao prefeito, que naquela altura estavam nos chamando de tudo quanto é nome que não presta, e afirmando que o tal projeto não existia, que estávamos mentindo...Fomos aos quatro cantos de Rosário mostrar em telão o tal projeto que teve as licenças ambientais aprovadas pelo blogueiro que na época era secretário de meio ambiente de Rosário o senhor Renato Waquim (que curiosamente é tio do ex vereador Willame Anceles) e depois foi liberada pela secretária estadual do meio ambiente.
Fomos as audiências públicas onde foram discutidas o que seria a CTR ou “Lixão”, e a nossa postura sempre foi esta: “Aceitamos cuidar do nosso lixo, e não aceitamos lixo de outras localidades” .
Depois entramos na JUSTIÇA, pedindo a paralisação da construção da tal CTR ou “Lixão”, e conseguimos uma liminar que posteriormente foi derrubada.
Lembro perfeitamente das pessoas, que  estavam nas manifestações contra o tal projeto, e hoje em dia estão aparecendo uns “aproveitadores” querendo criar polêmica e empurrar a responsabilidade do projeto a atual gestão (que recentemente vetou um projeto do legislativo, que estava com a intenção de limpar a sua imagem perante para a sociedade).
 
Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance, e até hoje sustento a mesma opinião e não irei me deixar influenciar por qualquer um que se ache intelectual ou “alguma coisa”, tenho a minha opinião bem definida. Continuo contra a vinda de lixo de outras localidades para serem depositados ou tratados aqui em Rosário.   
Por Jerffeson de Jesus

 

 
 

Um comentário:

  1. Curta a nossa página no facebook, e apareça no mural mais lindo da internet, e seja visto por milhares de pessoas todos os dias. Obrigado pela visita e volte sempre!
    Forte Abraço.

    ResponderExcluir